sábado, 15 de maio de 2010

Nietzscheano, demasiado Nietzscheano

Braço sempre fiel ao martelo, até que o martelo em si se transforme em um ídolo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário